quinta-feira, 17 de agosto de 2006

Minha campanha pelo voto consciente

voto.gifMárcia Regina escreveu este comentário sobre a questão do voto nulo:
"Olá tenho 17 anos estava passando pelo site pesquisando se as eleições seria uma democracia ou apenas um jogo de poder nos vamos fazer um seminario sobre o assunto então foi assim que achei seu site não sabia sobre as informações do voto nulo que aqui estão dizendo eu tinha uma idéia sobre o assunto,e lendo sua máteria mudei minhas ideias vc esta de parábens gostei muito do seu site."

Política muitas vezes é teatro, é demagogia, é populismo, é cinismo e muitas vezes sinônimo de bandidagem.

Mas o mais importante, filtrando o que há de ruim na política, é que ela é uma forma de um país viver admitindo-se as diferenças e fazer as mudanças para melhorar nossas vidas.Embora reconheça-se que isso nem sempre acontece.
No tempos de colégio, em 1981, durante o regime militar no Brasil, na época que a Polônia era uma ditadura comunista que decretou a lei marcial reprimindo a formação dos sindicatos de trabalhadores, ganhei da minha mãe uma camisa vermelha do "Solidarność", sindicato polonês fundado por Lech Walesa.

Em 1984, ainda no regime militar, vesti amarelo e esperei pelo Congresso aprovar a emenda constitucional Dante de Oliveira que assegurava as eleições diretas para presidente. Mas a câmara dos deputados, controlada pelos militares rejeitou a proposta da EC.

Com a redemocratização, hoje votar virou banalidade e infelizmente o voto não tem mais o valor que tinha antes, pois virou rotina.

Mas é bom de se pensar no dia de votar: goste-se ou não, é o país que temos e não temos mais para onde ir.

3 comentários:

  1. Concordo.
    Não vejo em quem votar e não sou de "votar no menos pior" ou "no meu safado". Mais safado ou menos safado é safado de qual quer maneira. Vejo no voto nulo a via melhor para meu voto.
    Temos sim que fazer uma campanha pelo voto nulo, e assim despertar a consciência adormecida da população.

    ResponderExcluir
  2. Havia um tempo, aqui, em que se usava o slogan ' o voto é a arma do povo'... Hoje apela-se mais ao sentido do dever cívico.
    Nunca deixarei de votar, por mais q me aborreça e não me identifique com os opções disponíveis. Nunca deixarei de cumprir esse dever, fazendo uso desse direito. Os mais jovens, por cá, andam às vezes um pouco distantes da política.É pena.

    ResponderExcluir
  3. guilherme gonçalves19 de fevereiro de 2008 04:22

    eu acho sim, que existem muitos politicos direitos ainda no brasil, podemos nos atualizar e procurar os candidatos certos, pesquisando sobre os candidatos e suas ações ja feitas, e propostas futuras, e com quem estão coligados. só assim poderemos achar alguem para nos representar em brasilia.

    ResponderExcluir